“O governador não tem o direito de manchar a história da Rádio Timbira”, afirma Eduardo Braide

  • 25/05/2018

O Partido da Mobilização Nacional (PMN) ingressou na Justiça Eleitoral com uma representação para apurar abuso de poder político e uso indevido da Rádio Timbira, emissora pública gerida pela Secretaria de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, que tem veiculado em sua programação constantes comentários depreciativos à adversários políticos do governador do Estado. 

“O governador não tem o direito de manchar a história da Rádio Timbira. Onde já se viu usar uma rádio pública para fazer política partidária, sobretudo, falando mentiras a respeito de seus adversários? Os ataques são constantes. E aí fica a pergunta: se o governo está tão bem e o governador tem 60% de intenção de votos nas pesquisas como ele faz questão de alardear, porque usar uma rádio que é pública para atacar seus adversários?”, questionou o presidente estadual do PMN, deputado Eduardo Braide. 

Sobre os ataques, Braide destacou as mentiras ditas a seu respeito na Rádio Timbira. 

“Tentam todos os dias desqualificar o PMN e a nossa posição política. Chegaram ao ponto de inventar que respondo a processos. É lamentável ver a Timbira ser usada em métodos políticos tão ultrapassados. Para quem tanto critica a utilização indevida de veículos de comunicação, o governador parece ter esquecido a proposta da Rádio Timbira: ‘fazer jornalismo público, pautado na verdade, transparência e honestidade’”, lamentou o deputado. 

A Representação por abuso político e uso indevido da Rádio Timbira, protocolada na Justiça Eleitoral, já está aguardando a manifestação da Procuradoria Regional Eleitoral. 

“A Representação é, antes de mais nada, uma defesa à história da Rádio Timbira, que jamais poderia ser usada para fins políticos. Confio na Justiça Eleitoral, que tem a importante missão de garantir uma disputa limpa e equilibrada. É isso que esperamos em 2018 aqui no Maranhão”, afirmou Eduardo Braide.